4 de out de 2009

Domingo, 4 de Outubro


Conheci Rosane em Campos dos Goytacazes, em 1968.

Ela foi com a irmã falar comigo nos bastidores depois show que apresentei lá, nunca esqueço aquele dia.

Minha amizade foi com a irmã dela, mas ela insistiu tanto, com cartas lindas, sempre presente, que foi com ela que tive uma linda amizade até ontem, quando ela foi enterrada em Recife, lugar onde ela gostava de passar as férias, alugava uma casinha e curtia a vida adoidado.

Abri meus emails e lá estava um aviso de postagem em meu blog. Quando li a mensagem não pude acreditar no que via, aquelas palavras pareciam um texto qualquer, não podia ser a vida real. Liguei pra lá, falei com a amiga que deu a notícia e que no telefonema contou o calvário que passaram com ela em hospitais, Samus e o cacete! Nenhum diagnóstico preciso, nem uma palavra que desse algum esclarecimento...e ela morrendo aos poucos.

Soube que foi alguém, conhecido da irmã para providenciar o funeral.

Para mim, que ainda não dormi, foi hoje o enterro, mas foi ontem, dia 03 de Outubro.

Em Recife.

Escuto a voz dela, suas risadas felizes, pois sempre que ela estava comigo estávamos felizes. Querida. Sempre me ligava de Campos onde morava. Ligava de todos os lugares para onde ia passar férias. Minha irmã de verdade.

Recife, faça festas, ela ficou aí, que os espíritos cuidem bem de sua alma, já que os encarnados responsáveis cuidaram tão mal.

Obrigada às amigas que fizeram tudo o que podiam, saibam que ela adorava a sua companhia, por isso não abria mão das férias com voces. Obrigada.
Rosane, Rosane, minha querida, minha irmã de verdade.

Daqui por diante vou fazer com você o exercício que faço com as pessoas minhas amadas que vão embora:

Penso nelas todos os dias, procuro ver todo o corpo e ouço a voz falando comigo, para não esquecer nada do que foi importante em minha vida. E não esqueço mesmo, como não lhe esquecerei. Pode estar certa, querida.
Tenha muita paz e alegria no céu!