24 de nov de 2009


Como os ventos
minha cabeça roda,
e voa, e pesa, para baixo.
A primavera visita minha casa
e eu a recebo
como se nunca estivera...
Tanta cor, tanto verde,
tanta flor,
e eu batendo pelas paredes
com labirintite.
Que dicotomia!
E a lua ri de mim...