4 de set de 2009

QUEIMANDO ETAPAS.

Tirei minha carteira de motociclista em 1978, mas só pilotava quando ia à casa do meu irmão Gilmar em São José dos Campos/SP, não queria ter moto para não me arriscar todos os dias e não poder criar o meu filho, aliás, depois que ele nasceu, cortei tudo o que pudesse me expor, pois além de nao querer deixá-lo sem mãe, principalmente eu não queria correr o risco de não viver com ele, que foi o grande sonho de uma vida realizado.
Passaram tantos anos, tanta coisa tomou a frente dos meus sonhos menores, pois é assim que a vida é.
Hoje uso muito uma frase do Belchior que diz "Tenho pressa de viver", não tenho tempo a perder e o que tenho será para colocar em dia a realização de cada pequeno sonho que sonhei, um deles está aí na foto, a minha moto "custom", uma Virago 250cc, toda equipada para a estrada, que é a sua vocação e a minha também.
Sempre achei que aquela propaganda era a minha cara e sempre pensei em um dia poder cantá-la de verdade e não apenas "com os meu botões, "Liberdade é uma calça velha, azul e desbotada...", sempre achei que o ideal de vida era uma mochila com "uma muda" de roupa dentro, um livro e uma escova de dentes.
Está faltando bem pouquinho, já passei do "meio caminho andado".
Estou muito feliz!
Em Tempo, o nome dela é "Amiguinha" e eu sou apaixonada por ela.