6 de mar de 2011

COMIGO. 29/11/1997

Não se sobe ao palco,
não se solta a voz,
impossível arrepiar,
cantando,
se não existe
a criação,
aquilo que o tempo,
gerou imperceptivelmente
dentro de nós
n'um útero etéreo,
que recriou
o outrora procriado
pela história...
E o que se diz teatro,
é a vida nascendo
entre contrações coletivas,
emocionadas,
a cada melodia inesquecível...
Sim, um dia
perdi o poder de procriar,
mas foi o tributo
que aprendi a pagar
para aprender a recriação.