4 de set de 2009

QUEIMANDO ETAPAS.

Tirei minha carteira de motociclista em 1978, mas só pilotava quando ia à casa do meu irmão Gilmar em São José dos Campos/SP, não queria ter moto para não me arriscar todos os dias e não poder criar o meu filho, aliás, depois que ele nasceu, cortei tudo o que pudesse me expor, pois além de nao querer deixá-lo sem mãe, principalmente eu não queria correr o risco de não viver com ele, que foi o grande sonho de uma vida realizado.
Passaram tantos anos, tanta coisa tomou a frente dos meus sonhos menores, pois é assim que a vida é.
Hoje uso muito uma frase do Belchior que diz "Tenho pressa de viver", não tenho tempo a perder e o que tenho será para colocar em dia a realização de cada pequeno sonho que sonhei, um deles está aí na foto, a minha moto "custom", uma Virago 250cc, toda equipada para a estrada, que é a sua vocação e a minha também.
Sempre achei que aquela propaganda era a minha cara e sempre pensei em um dia poder cantá-la de verdade e não apenas "com os meu botões, "Liberdade é uma calça velha, azul e desbotada...", sempre achei que o ideal de vida era uma mochila com "uma muda" de roupa dentro, um livro e uma escova de dentes.
Está faltando bem pouquinho, já passei do "meio caminho andado".
Estou muito feliz!
Em Tempo, o nome dela é "Amiguinha" e eu sou apaixonada por ela.






11 comentários:

  1. Vou repetir o que já falei para você: amiga, que showwwwwwwwww!!!
    É isso aí mesmo. A sua Virago tem a sua cara e você a cara dela. Almas gêmeas.Deus abençoe as duas!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Dona Marilia por mais uma conquista a Sra. é merecedora.

    Muitos beijos e abraços

    ResponderExcluir
  3. PODEROSAAAAAAA! AMEIIIIIII!
    Minha querida, nada vale mais do que a concretização de sonhos. Pegue seu Maico e demais e viva-o intensamente!!!! Pegue-os com sua "amiguinha" e desbrave lindas paisagens, com excelentes brisas a lhes acariciar a mente e coração num chispar" de luz a iluminar horizontes, disseminando mais do que luz e som, mas, sonhos!!!Amor infinito

    ResponderExcluir
  4. Querida Marilia,

    Obrigado pelo convite para visitar seu blog, cujos textos têm as mesmas características da sua voz: sinceridade, emoção, delicadeza e muito estilo.Parabéns,
    !beijo!
    Kléssius
    P.S.: e não se esqueça de contar aquelas suas histórias memoráveis, pois também fazem parte da história musical brasileira.

    ResponderExcluir
  5. Bem, de 1978 a 2009 é um bom tempinho de espera!
    Mas, nas palavras de Gulherme Arantes, "cuide-se bem, eu quero te ver com saúde e sempre de bom humor e com boa-vontade"
    Beijos, querida, e cuidado com essas estradas fluminenses...!

    ResponderExcluir
  6. Adorei saber que vc é motoqueira. Será que é tão boa quanto cantriz?

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Marília! Curta bastante sua "Amiguinha". Eu comecei a andar de duas rodas em uma Vespa, em 1991 e viajei bastante com ela de Macaé para o Rio, para Pádua e outros lugares. Hoje, tenho uma XLR 125, com a qual também já viajei bastante, porém atualmente uso mais o carro para viagens.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Que Maravilha! seja bem vinda ao mundo dos, estadeiros e amantes da liberdade. Quem sabe um dia destes pegamos juntas a estrada... Que a amiguinha leve nosssa rainha por caminhos maravilhosos!

    ResponderExcluir
  9. Marilia, é gostoso ler os seus sentimentos para com a sua amiga virago, a sensação de liberdade e o amor pela preciosidade da palavra.Realmente andar de moto simples e humilde já é muito gostoso, imagine uma dessas com toda essa pompa de "Dona da estrada", deve ser fantástico.Parabéns minha amiga e me sinto muito feliz com a sua felicidade.Cuide bem de sua "Amiguinha"BeijossssssssssSamor

    ResponderExcluir
  10. Mainha, se antes eu ja te achava porreta , agora danou-se mesmo, muito show essa moto,tem o seu perfil exato, aproveite o maximo sua maquina porque a vida foi feita para ser aproveitada mesmo, "em duas rodas e claro". Agora compra um mp3 e coloca essa musica quando for pegar a estrada, super classico dos anos 60.

    BORN TO BE WILD / 1968

    ResponderExcluir
  11. Ufaaaaaa! Prefiro saber que está curtindo a chácara!!! rsrs

    ResponderExcluir